junho 15, 2018

5 mitos sobre a cannabis medicinal e seus efeitos

ação no corpo
4 min de leitura

Aprendemos desde muito cedo que consumir cannabis pode ter resultados negativos. Além disso, ela foi frequentemente colocada no mesmo grupo que drogas como a heroína e a cocaína. Essa abordagem estigmatizou a cannabis, resultando em muitos mal-entendidos e mitos sobre a cannabis medicinal e seus efeitos.

Se você ainda não sabia, a cannabis tem mais de 100 compostos químicos chamados canabinoides. Eles são capazes de estimular receptores presentes em todo o nosso organismo e desencadear reações químicas que afetam a mente e o corpo de diferentes maneiras, ou seja, os canabinoides produzem efeitos variados. Tendo isso em mente, vamos dar uma olhada em 5 mitos sobre a cannabis.

Mito 1 – Quem consome cannabis medicinal sempre tem os efeitos psicoativos

Os dois canabinoides mais estudados da cannabis são o THC e o CBD. Embora a cannabis seja comumente conhecida por produzir efeitos psicoativos, o principal responsável por isso é o THC. Esse composto liga-se exclusivamente aos receptores CB1, encontrados principalmente no cérebro, e com isso produz efeitos psicoativos.

Mas nem todos os componentes da cannabis desencadeiam esse efeito.

O CBD, por exemplo, não atua nos mesmos receptores que o THC e, portanto, quem o consome isoladamente, não tem efeitos psicoativos.

Mito 2 – Você tem que fumar para ter os benefícios da cannabis

Fumar cannabis proporciona um efeito quase instantâneo, tornando-se o principal método de consumo para muitas pessoas. No entanto, esta não é a única maneira de experimentar os benefícios medicinais da planta. Dependendo da condição que você deseja tratar, você pode escolher entre uma variedade de métodos de consumo, como vaporização, óleos e alimentos com cannabis.

Mito 3 – Consumir cannabis vai fazer você consumir drogas pesadas    

A cannabis é muitas vezes chamada de “porta de entrada”, principalmente devido à desinformação. Na verdade, estudos sugerem que a cannabis é uma alternativa mais segura a uma série de medicamentos farmacêuticos prescritos atualmente. Além disso, uma pesquisa conduzida pelo Institute of Medicine (Academia Nacional de Medicina dos Estados Unidos) descobriu que não haviam evidências conclusivas de que o uso de cannabis estivesse de alguma forma ligado ao abuso de drogas ou ao uso de drogas ilícitas.

Mito 4 – Cannabis mata neurônios

Com base em um estudo realizado pela Universidade de Louisville, o consumo de cannabis a longo prazo e pesado não mata as células cerebrais. Os compostos ativos encontrados na planta são antioxidantes potentes, o que significa que protegem o DNA de danos causados ​​por toxinas ambientais e biológicas. A pesquisa mostrou que essas propriedades antioxidantes são neuroprotetoras, ou seja, combatem os danos às células cerebrais. E mais, os compostos da cannabis estão na lista das poucas substâncias que promovem o crescimento de novas células cerebrais.

Mito 5 – Fumar cannabis é pior para os pulmões do que o tabaco

Um estudo conduzido pela Universidade da Califórnia em San Francisco constatou que a fumaça da cannabis era menos prejudicial do que a fumaça dos cigarros.

Gostou do artigo?
Avalie:
Média de votos
Loading...