Benefícios da cannabis no combate ao câncer

6 min de leitura

Em países onde a cannabis é regulamentada muitos pacientes com câncer recorrem a ela para obter alívio. Isso porque, a planta ajuda com os efeitos colaterais do tratamento, e tem sido estudada, também, como uma aliada para impedir a progressão da doença. Vamos os conhecer agora os benefícios da cannabis no combate ao câncer.

Como a cannabis pode ajudar?

Médicos e pacientes pelo mundo incorporam a cannabis aos tratamentos contra o câncer para ajudar a minimizar sintomas como náuseas, dores e vômitos.

Dores

Os resultados dos estudos que avaliam a ação da cannabis na dor demonstram os efeitos complexos da analgesia relacionada à planta. Múltiplos ensaios clínicos apontam a cannabis como uma alternativa eficaz para melhorar a dor. Isso porque os nervos periféricos que detectam as sensações de dor contêm receptores canabinoides e, portanto, são afetados pelo consumo da cannabis. Quando os canabinoides THC e CBD entram no organismo, ativam os receptores CB1 e CB2, que regulam o sistema nervoso central e os neurotransmissores, ajudando assim a interferir positivamente nos níveis de dor.

Produtos farmacêuticos que imitam as substâncias da cannabis já estão disponíveis e são prescritos para os efeitos colaterais da quimioterapia em alguns países, como nos Estados Unidos. Dois canabinoides sintéticos – dronabinol e nabilone – foram aprovados no país para a redução de náuseas e vômitos induzidos por quimioterapia. Esses dois medicamentos tentam reproduzir os efeitos do THC.

Náusea e vômitos

A sensação de enjoo pode ter mais a ver com o cérebro do que com o estômago. Os endocanabinoides – canabinoides encontrados naturalmente no corpo humano – entre outras funções, desempenham um papel importante na redução da probabilidade de que alguém vomite.

A cannabis possui substâncias que atuam em caminhos específicos do organismo, conhecidos como receptores canabinoides. Esses receptores estão envolvidos na regulação de muitas funções corporais. Os fitocanabinoides – encontrados na planta cannabis – são capazes de se ligarem aos receptores canabinoides presentes em áreas do cérebro associadas a náuseas e vômitos e, desta forma, agirem como apaziguadores para ambos os sintomas. Com isso, canabinoides como o THC, podem trazer o alívio quase que imediato, além de estimular o apetite. O CBD, outro composto ativo de cannabis, também mostrou suprimir a náusea e o vômito.

Em dezembro de 2016, começou o primeiro ensaio clínico mundial de cannabis medicinal para o gerenciamento de náuseas e vômitos relacionados à quimioterapia. Pesquisadores na Austrália estão examinando os efeitos de produtos de cannabis em pacientes em quimioterapia.

Os resultados deste estudo fornecerão uma boa janela para confirmar a eficácia da cannabis como auxiliar no tratamento de doenças como o câncer. No entanto, o fato é que a planta, seus derivados e até cópias sintéticas de suas substâncias já estão sendo utilizadas com resultados positivos em diversas partes do mundo.

Ação anticancerígena

Um grande corpo de evidências mostra que os canabinoides podem diminuir o crescimento de tumores em animais de laboratório com câncer. Isso porque eles são capazes de modular as principais vias de sinalização celular envolvidas no controle da proliferação e na sobrevivência das células cancerígenas. Além disso, os canabinoides inibem a angiogênese (crescimento de novos vasos sanguíneos ligado ao desenvolvimento de diversas doenças, incluindo o câncer) e diminuem a metástase (formação de uma nova lesão tumoral a partir de outra) em vários tipos de tumores em animais de laboratório.

Sobre o câncer

Câncer é o nome dado a um conjunto de mais de 100 doenças que têm em comum o crescimento desordenado das células. Elas invadem os tecidos e órgãos e podem também se espalhar para outras regiões do corpo.

Quais são os sintomas?

Os sintomas variam muito ou podem não ocorrer. Alguns pacientes têm inchaços anormais, febres inexplicáveis, sudorese noturna ou perda de peso involuntária.

 

Quais são os tratamentos?

Os tratamentos mais comuns podem incluir cirurgia, quimioterapia e radioterapia.

A quimioterapia se destina a eliminar células de rápido crescimento, mas acaba afetando também as células saudáveis. Entre essas células, estão aquelas responsáveis pelas ações no trato digestivo, no sangue e as células que fazem o cabelo crescer. Como reação, a quimioterapia pode gerar queda de cabelo, feridas na boca, náuseas, dores e vômitos.

Gostou do artigo?
Média de votos
Loading...