Logo
Blog  >  Geral

Cannabis no combate aos distúrbios do sono; entenda o potencial da planta

minutos de leitura
21 de janeiro de 2021
Descubra neste texto a relação cannabis sono e as pesquisas que estão sendo desenvolvidas sobre o tema.

O sono tem um papel vital no organismo. Ele contribui para o equilíbrio químico do corpo, afeta os níveis de energia, impacta diretamente nas habilidades cognitivas e executa outras funções de extrema importância para o bom funcionamento de todo o sistema nervoso, órgãos e afins. Sua deficiência está ligada a maioria dos transtornos psiquiátricos. E estudos apontam a eficácia da Cannabis no combate aos distúrbios do sono.

Segundo a Associação Brasileira do Sono (ABS), 73 milhões de brasileiros sofrem de insônia, a principal reclamação nos consultórios. Porém, há mais de 80 tipos de distúrbios do sono, como a apneia obstrutiva, insônia, bruxismo, sonambulismo e parassonia. A vida social agitada contribuí ainda mais para o agravamento desses quadros.

Entretanto, estudos têm demonstrado a eficácia dos canabinoides na melhora da qualidade do sono em geral, apontando a Cannabis como uma alternativa natural no tratamento dos distúrbios do sono sem os efeitos colaterais.

Esses efeitos colaterais são típicos dos remédios alopáticos, como no caso do uso de opioides para tratar pesadelos em pacientes com TEPT (Estresse pós-traumático), que pode, inclusive causar dependência e levar à morte.

Entre os canabinoides mais estudados para tratar esses distúrbios estão o THC (tetrahidrocanabinol), o CBD (canabidiol), além de algumas versões sintéticas da substância, como a nabilona.

Veja abaixo como a Cannabis pode colaborar com a melhora da qualidade do sono.

CBD contra os distúrbios do sono

A insônia é uma das principais queixas nos consultórios quando ao assunto é distúrbios do sono.

Porém, mesmo ao conseguir dormir, existe um ciclo intermitente importante a ser cumprido, que passa por fases de sono leve, sono profundo e sono REM.

Cada etapa dessa mal desenvolvida guarda consigo o potencial do desenvolvimento de doenças, como é o caso da redução do sono REM.

Problemas no sono REM, por exemplo, aumentam o risco de demência.

Pesquisadores brasileiros da Universidade de São Paulo, de Ribeirão Preto, realizaram um estudo com ratos com o objetivo de avaliar os efeitos do CBD sobre o sono.

O resultado apontou que o canabidiol aumentou o tempo total do sono, a latência do sono no período de luz do dia e a latência do sono REM em um dos grupos que recebeu 40 mg/kg.       

Mas não é só em animais que a Cannabis demonstra efeitos positivos.

Um levantamento feito por acadêmicos de diversas universidades norte-americanas, como a Universidade da Califórnia e Universidade da Pensilvânia, apontou que pacientes que buscam tratamento para distúrbios do sono tendem a usar Cannabis do tipo sativa com porcentagens maiores de CBD.

Os pesquisadores recrutaram 163 adultos que compram Cannabis medicinal para uma condição de saúde física ou mental. 

Os participantes forneceram autorrelato sobre o uso para ajudar com problemas de sono (por exemplo, insônia, pesadelos), qualidade do sono, entre outras análises.

Portanto, esses estudos e levantamentos apontam para os efeitos positivos da Cannabis no combate aos distúrbios do sono.

Canabinoides sintéticos e seus efeitos no combate aos distúrbios do sono

O uso da Cannabis tem sido objeto de estudo quando se trata de aliviar os sintomas de outras doenças, como é o caso de pacientes com TEPT (Estresse pós-traumático), que sofrem com distúrbios do sono por causa dos pesadelos.

Um estudo preliminar, randomizado, duplo-cego e cruzado controlado por placebo, realizado por pesquisadores canadenses, apresentou resultados positivos e significativos no uso de nabilona, um endocanabinoide sintético, no tratamento dos pesadelos associados ao TEPT.

Militares canadenses traumatizados foram o objeto de estudo, que conclui que o uso do nabilona reduziu os pesadelos relacionados ao transtorno, além de não apresentar efeitos colaterais.

O dronabinol, substância sintética semelhante ao THC, foi usado em ratos por pesquisadores da Universidade de Ilinois para tratar a apneia obstrutiva do sono.

Esse distúrbio faz com que o indivíduo sofra breves e repetidas interrupções da respiração enquanto dorme. 

O resultado foi promissor. O dronabinol reduziu a apneia do sono induzida por seratonina nos roedores.

THC é sedativo, mas precisa de atenção

O canabidiol oferece melhor estado de vigília, sendo eficaz contra a sonolência.

Porém, os efeitos sedativos do THC também podem ser aproveitados para melhorar a qualidade do sono, como adormecer mais rápido, mas é preciso atenção.

Pesquisadores do Instituto Nacional de Abuso de Drogas, em Baltimore, em Maryland (EUA), realizaram um pequeno estudo dos efeitos do THC em fumantes crônicos de Cannabis do sexo masculino.

Entre as conclusões está a de que a sonolência do THC oral pode se dissipar com o uso crônico de altas doses, o que teria implicações para os pacientes que podem fazer uso do THC oral crônico para fins medicinais.

Mas, mesmo assim, também foi observado um aumento modesto no sono e menos dificuldade para dormir.

Portanto, o uso do THC para o tratamento de distúrbios do sono não deve ser descartado, porém o paciente necessita de avaliação médica periódica.

Leia mais

Como agendar consulta com médico que prescreve cannabis

Artigos científicos – Cannabis e ansiedade

Gostou do artigo?

Loading...